Ontem cometi um ‘pecado’ – comi um picolé Magnum de chocolate, com cobertura dark.., mas não me arrependo nem um pouco, atendi a um desejo e desfrutei com o maior prazer!

Nos dias de hoje, onde a maioria das pessoas vive à procura de um corpo ‘perfeito’, nem sempre pensando na saúde, mas na aparência, uma barriga ‘tanquinho’ e seios empinados parecem valer mais que um bom caráter na bolsa de valores da sociedade midiática (essa palavra existe? se não, acabei de inventar.., sorry!)

As pessoas começam a ter sentimentos de culpa por terem comido uma porção de batatas fritas ou um pavê sonho de valsa.  Quando eu era criança, meus pecados eram xingar uma amiga de ‘baleia’, ou responder pra minha mãe.., nada que 1/2 dúzia de pai-nossos e 10 ave-marias não resolvessem, bastava ir ao confessionário e contar ao padre.

Hoje nosso confessionário é o consultório médico, o endocrinologista, a nutricionista, que nos sugerem as penitências.  Mas há palavras mágicas nos rótulos dos produtos industrializados que nos abençoam com uma espécie de absolvição, que fazem nos sentir menos culpados frente a tantas tentações..

Eis alguns exemplos:

– natural, light (incontestáveis, porém um pouco batidas, você já nem presta mais atenção nelas..)

– orgânico, integral, com fibras, sem gordura-trans, 70% cacau, ‘zero’ qualquer coisa (alcunhas mais moderninhas)

– eufemísticas: levemente adocicado (hum, sei….)

Outro dia comprei um shampoo cujo rótulo anunciava ‘sem parabenos’ – não faço a menor idéia do que isso significa, mas meus cabelos se sentiram totalmente absolvidos, e dormiram em paz!

Bjs a todos. Van.

Anúncios