Como prometido, segue o texto que escrevi em 2005, que resume bem os significados da dança étnica pra mim:

“QUEM DANÇA, SEUS MALES ESPANTA”

Costumo dizer que a Dança é minha Cura.  Um bálsamo para meus males físicos e psíquicos.  Quando danço, me transporto para uma outra dimensão, ou – quem sabe – na verdade re-encontro meu Eu mais profundo, promovendo um retorno ao meu Ser verdadeiro.

 A música e a dança tiveram desde cedo um significado especial na minha vida, muito antes de frequentar aulas em escolas.  Descendente de gregos, me habituei desde pequena a ver meu pai, minhas tias e tios dançando em roda, batendo pés e mãos, sempre comemorando, festejando a Vida.

 Anos depois, tive a felicidade de encontrar mestres que me religaram com o prazer de dançar.  As aulas se tornaram pausas preciosas na vida atribulada de trabalho, me transportando para experiências atemporais, onde entrava em contato com forças ancestrais, que iam muito além do círculo familiar. 

 O Homem dança desde os primórdios.  Ainda pré-histórico, se reunia em círculo, ao redor de fogueiras, para dividir suas experiências do cotidiano, traçar planos para o amanhã, transmitir ensinamentos aos mais jovens, ouvir estórias dos mais velhos, e também para comemorar, cantar, dançar, namorar, e se confraternizar com as tribos vizinhas.  E ali se construía a Humanidade.

 Hoje vivemos em uma sociedade egóica, onde os valores individuais – muitas vezes discutíveis – se sobrepõem aos da comunidade.  No meu entender, a Dança é um dos instrumentos que possibilita reeencontrar nossos semelhantes, nos unindo em torno de um objetivo comum.  Ela é uma linguagem universal.  Você não precisa falar idiomas para imitar um passo, seguir um ritmo.

 Quando danço, penso estar me confraternizando com aqueles homens das cavernas, e com as pessoas que habitam as regiões mais remotas da Terra, esta pequena aldeia global; e assim, quem sabe, possamos chegar a um tempo de Paz total.

 Quer razões mais concretas para dançar ?  Bem…

  • dançar libera enzimas que te deixam mais feliz, e te dão uma sensação de prazer;
  • dançando você conquista auto-confiança; a cada passo aprendido, a cada dificuldade superada, você descobre que “pode”, que é capaz; e transfere esse sentimento para outras áreas de sua vida;
  • dançar desinibe, torna você uma pessoa mais sociável;
  • dançar modela o corpo, dá eixo, consciência corporal, e – com sorte – até emagrece !;
  • dançar melhora a concentração e te ajuda a desenvolver e a ordenar melhor suas idéias;
  • dançar renova, rejuvenesce, ilumina sua carinha;
  • dançar, bem… acho que você já tem boas razões para começar, então o que está esperando ?

 Um beijo, Vania.

 São Paulo, 28 de Janeiro de 2005.

Anúncios