Continuando a minha never-ending lista das 10 coisas que mais gosto (tá difícil terminar..), vou incluir o chá. 7) Adoro tomar chá.  Pode ser no inverno ou no verão, mas de preferência à tarde ou à noite.

O chá na verdade tem alguns outros significados pra mim, além dos óbvios – esquentar no frio, fazer a digestão, acompanhar um pedaço de bolo.  Aninhar uma caneca quente de chá nas mãos me traz lembranças.., não específicas, até porque na casa da minha mãe não havia esse costume. Chá, só se fosse numa dor de barriga, aí era de camomila (aquelas florzinhas amarelas, quando ainda não existiam chás de saquinho..) com erva doce, e minha mãe tinha sempre uma caixinha de chá mate Leão (o chá vinha a granel, dentro de uma caixinha de madeira..).

Dentre algumas das minhas ‘compulsões’ – esta já bem controlada..rsrs – está a compra de canecas de chá, não sei a razão, mas adoro!! Acho que parei um pouco de comprar por falta de espaço no armário (!) e depois que comecei a fazê-las, de cerâmica. Fazer é bem mais divertido do que comprar… Eis alguns exemplares:

A minha preferida é a que tem um leão desenhado, essa é a ‘minha’ caneca (será que é porque sou leonina??..), é uma espécie de identidade, uma coisa de apego mesmo.. (shame!), é uma daquelas coisas que tenho ciúmes, não empresto pra ninguém!

Bom, voltando aos significados: chá pra mim transmite conforto, segurança, paz, é um momento meditativo, mesmo que esteja fazendo outras coisas simultaneamente. Um chá quente me transporta a um lugar aconchegante, que fica dentro da minha alma, do meu coração.. É uma espécie de redenção também.., algo como uma ‘remissão’ do pecado da gula..hehe, me livra da culpa sempre depois de comer algo que me pesa no estômago. Parece que o chá tem esse poder de ‘limpeza’, de zerar o corpo e os sentimentos. Convidar uma amiga para tomar chá é um bom princípio para uma longa conversa..

Prefiro os chás de ervas, e os blends, como dizem os marketeiros da categoria.., tipo: abacaxi com hortelã, laranja ou camomila com especiarias, melissa com flor de laranjeira, e outros aromatizados com baunilha e chocolate. É claro que um chá feito de um galinho fresco colhido na hora tem outro aroma, mas nem sempre temos a planta disponível, então vai de saquinho mesmo.. Evito os pretos e mates para não ingerir muita cafeína. Os verdes são ótimos digestivos, e mantêm a mente acordada.

Enquanto escrevo sobre chá, emerge a possível razão pela qual essa bebida está tão intrinsecamente ligada a aspectos emocionais e, talvez, até a vidas passadas. Como sabem, descendo de uma família de gregos mas meus avós moravam na Turquia, e lá, servir copinhos com chá é praxe, cortesia, é cultural mesmo, um costume arraigado. Minha avó grega tinha o hábito de reunir filhos e netos para um CHÁ, nas noites de domingo. Esse lanche incluía pães, frios, pepino e tomate picados, azeitonas pretas, ovos cozidos, e obviamente um bule de chá mate (de alumínio, enorme, sempre reluzindo), que todos tomavam ao final ou para acompanhar a refeição. Voilá!  Talvez por essa razão o chá me remeta a emoções relacionadas ao aconchego da família. Hum! saudades do chá da iaiá.., vou pesquisar na casa da minha tia e ver se esse bule ainda existe, e trago a imagem pra vocês! Por enquanto, contentem-se com a imagem de alguns copinhos típícos que trouxemos de Istambul:

Anúncios