É preciso se reinventar

A cada dia, a cada hora, tirar coelhos da cartola.

É preciso buscar, no meio das cinzas a semente da Fênix

Renascer, redescobrir, recomeçar

Indefinidamente.

A procura não acaba

E não dá para voltar, rebobinar

É preciso seguir em frente, seja qual seja a estrada, o sol, a chuva, o frio.

Mas é preciso se reinventar

Escarafunchar, tirar o véu, até que o cerne seja revelado.

Vania.

Anúncios